10 casos perturbadores e terríveis de necrofilia

0
162

A necrofilia é a filia sexual em que as pessoas sentem atração por cadáveres. Obviamente, esse é considerado um dos maiores tabus da humanidade.

Nessa lista, confira 10 casos pavorosos de necrofilia.

10 – Kaoru Kobayashi

Kaoru Kobayashi, um entregador de jornais de Sango, no Japão, raptou e abusou de uma garota de sete anos de idade em 17 de novembro de 2004. Depois de cometer o crime bárbaro, Kobayashi afogou a garota em sua banheira.

Então, passou a mutilar o cadáver da menina, tirando fotografias de seu corpo com seu próprio telefone celular. Como se esta já não fosse uma história suficientemente terrível, o homem enviou as fotografias para a família da garota.

Felizmente, Kobayashi foi encontrado pela polícia. Depois de ser condenado pelos crimes hediondos que cometeu, o homem foi executado.

9 – Civilização Moche

Do primeiro até o oitavo século d.C, os Moche dominaram a região do Rio Lambayeque e Nepena, onde atualmente é o Peru. Os Moche são famosos por suas pirâmides, onde eram pintados painéis dedicados a deuses, figuras religiosas e líderes falecidos.

Em 1980, um arqueólogo descobriu restos de cerâmica e murais com cenas pavorosas. Aparentemente, os Moche tinham um certo gosto por pintar cenas onde seres humanos praticavam relações com cadáveres de outras pessoas e animais.

Alguns estudiosos dizem que os Moche tinham um apreço pelos mortos, inclusive realizando rituais sexuais envolvendo cadáveres antes ou depois de sacrifícios humanos.

8 – Karen Greenlee

Cerca de 90% dos necrófilos são homens, mas Karen Greenlee é uma exceção à regra. A mulher, que trabalhava diretamente com os cadáveres, em um cemitério de Sacramento, admitiu, em 1979, ter tido contato sexual com 20 a 40 cadáveres masculinos. Na época, a garota tinha 23 anos de idade.

Já que a necrofilia não era ilegal na Califórnia, Karen foi condenada por dirigir de forma ilegal um carro fúnebre e interferir em um enterro, onde sequestrou o corpo de um rapaz de 33 anos de idade. A mulher passou 11 meses na prisão.

7 – Anthony Merino

Em 2007, Anthony Merino, de Nova Iorque, foi preso depois de ser visto mantendo relações com o cadáver de uma mulher de 92 anos, que havia morrido recentemente.

Merino recebeu sentença de 7 anos de prisão, mas aceitou passar por exames psiquiátricos e psicológicos em troca de reduzir sua sentença.

6 – Genzo Kurita

Entre 1948 e 1952, Genzo Kurita cometeu uma série de crimes bárbaros envolvendo mães e filhas. Ele acabou sendo preso em janeiro de 1952 depois de assassinar uma garota de 24 anos e sua tia, de 63 anos. Depois do crime, o homem violou sexualmente o cadáver da garota.

Depois de investigar a vida de Kurita, a polícia japonesa descobriu que em 1951, o homem estuprou e assassinou uma mulher de 29 anos, mãe de três filhos. Depois disso, jogou o cadáver da mãe – e seus três filhos vivos – de um precipício. De forma milagrosa, uma das crianças sobreviveu.

Responder