10 formas aterrorizantes de ficar preso em seu próprio corpo

0
164

A maioria de nós está acostumado a ter controle de nossos corpos. Mas e se esse não fosse o caso? E se você permanecesse consciente, mas incapaz de se mover, comunicar, ou mesmo respirar por conta própria? Nós falamos sobre a paralisia do sono antes. E hoje nós vamos falar sobre as 10 formas mais terríveis de você ficar trancado em seu próprio corpo.

1. Paralisia Periódica

As paralisias periódicas são doenças genéticas caracterizadas por episódios súbitos de paralisia muscular. Estes ataques são causados por canais iônicos anormais em tecido muscular. Devido a esses canais com defeito, o potássio é incapaz de fluir para dentro ou para fora das células, levando a baixos (hipocalemia) ou altos (hipercalemia) níveis dessa substância. Os músculos, em seguida, se tornam flácidos e inúteis, ficando imobilizados por sofridos minutos ou horas.

Os ataques são causados por fatores comuns- calor, frio, exercício e refeições muito calóricas ou com muito sódio. Embora esses episódios assustadores possam começar dentro de minutos, doentes que ajustam seu estilo de vida podem limitar a frequência dos ataques. Felizmente, os episódios são reversíveis com o tratamento dos níveis de potássio anormais, e na maioria dos casos não são fatais.

2. Paralisia do Carrapato

Ela é causada por uma neurotoxina liberada pela saliva do artrópode. A debilidade começa a se definir dentro de alguns dias após a picada. Logo, a vítima começa a sofrer de profunda paralisia, insuficiência respiratória, e pode ser levada à morte. Ela é ascendente, começando nos membros inferiores, subindo em direção ao tronco. A remoção do carrapato provoca inversão completa e rápida de todos os sintomas. . . se descoberto em tempo. Também é mais comum em crianças, mas pode atacar em qualquer idade. Este distúrbio é realmente encontrado em muitos lugares ao redor do mundo.

3. ELA

Uma das mais temidas e terríveis doenças progressivas é a esclerose lateral amiotrófica (ELA), também conhecida como doença de Lou Gehrig, após o famoso jogador de beisebol que morreu da doença. ELA provoca a irreversível perda de controle do corpo ao longo de meses ou anos. A degeneração é devido à morte de neurônios motores, células que sinalizam comandos de movimento aos músculos. No começo pode envolver apenas leve fraqueza, fala arrastada ou espasmos. No entanto, os pacientes lentamente vão perdendo a capacidade de controlar qualquer movimento, até tornarem-se incapazes sequer de falar ou engolir, enquanto sensibilidade ao toque e mente são deixadas intactas. A maioria das vítimas, eventualmente, sucumbem à incapacidade de respirar.

Não há nenhuma maneira eficaz para tratar, curar ou reverter a ELA. No entanto, nem todo mundo é definhado pela doença tão rapidamente. Apesar do nome que recebe, o mais famoso sofredor é o físico Stephen Hawking, que ultrapassou as expectativas de sobrevivência por décadas.

4. Mielite Transversa

É uma inflamação da medula espinhal que terrivelmente pode causar paralisia em pouco tempo. Os primeiros sintomas incluem fraqueza, formigamento e perda de controle do intestino e da bexiga, que continuam a agravar-se nas seguintes horas, dias e semanas até que o paciente fique totalmente paralisado. As causas da inflamação podem variar de infecções a doenças imunológicas que induzem o corpo a atacar a medula espinhal. Em algumas raras ocasiões, a condição é causada pela reação do organismo a determinadas vacinas.

O tratamento envolve suporte para respiração do paciente e para outras funções enquanto espera-se a inflamação diminuir. Esteroides e medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar na recuperação. A maioria dos pacientes conseguem recuperar alguns funcionamentos, outros ficam seriamente debilitados.

5. Envenenamento por Curare

Curare é um veneno paralisante que foi muito utilizado pelos nativos da América do Sul e Central, aplicado a flechas. Extraído a partir da casca de certas plantas nessas regiões. Os seres humanos também não resistem à exposição ao veneno: friamente as vítimas experimentam total relaxamento dos músculos, permanecendo completamente conscientes de sua situação, mas provocando a morte por insuficiência respiratória em menos de meia hora. Para a felicidade de empreendedores, ele não tem efeito quando comido, então os animais mortos com flechas envenenadas permanecem comestíveis.

Os efeitos paralisantes do curare foram explorados por anestesistas no século 20. Eles usaram a toxina para relaxar os músculos e imobilizar pacientes durante cirurgias.

Use o menu abaixo para continuar lendo o post.

Responder