5 coisas insanas que a ciência descobriu sobre o corpo humano

0
287

Depois de séculos de estudos, você poderia pensar que os seres humanos já descobriram praticamente tudo o que há para saber sobre seus corpos. Leve engano… há coisas surpreendentes que os cientistas vem descobrindo a cada ano. Essas são algumas delas:

# 5. Há aranhas minúsculas vivendo no seu rosto agora

Em 2014, os cientistas apontaram um microscópio de alta potência na superfície do rosto humano, e foram surpreendidos. O que eles viram na imagem de alta resolução era algo parecido com isto:

Há aranhas minúsculas vivendo no seu rosto agora

Isso é um minúsculo aracnídeo chamado “Demodex brevis”, que vive nos seus poros. Das pessoas estudadas, 100% delas tinham uma cołônia enorme desses parentes das tão temidas aranhas.

Além disso, pesquisadores também descobriram que uma condição chamada rosácea, que provoca erupções cutâneas e inflamação, pode ser causada por uma reação imune a esses bichinhos que vivem em nossos rostos.

Talvez isso não seja o pior: embora essas criaturinhas não tenham necessidades como nós, elas expelem suas “fezes” quando morrem.

Acho que era melhor não saber disso…

# 4. Micróbios no seu intestino influenciam sua vida

Há tempos sabemos da existências pequenas criaturas chamadas “microflora intestinal”, que vivem em nosso intestino. Mas foi a pouco tempo que os cientistas tiveram um vislumbre de seu poder de influência. Essa descoberta inclusive está levando alguns pesquisadores a considerar o nosso ecossistema interno como uma espécie de órgão, tão importante quanto o rim ou fígado.

Uma das funções desses micróbios intestinais é regular o metabolismo, fortalecer o sistema imunológico e combater doenças. Existem pelo menos 100 trilhões deles em seu corpo, e representam cerca de 1 quilo de todo o seu peso corporal.

No entanto, nem todos eles são bonzinhos. Alguns estudos mostraram que alguns tipos de micróbios intestinais evoluíram para influenciar o nervo vago (que conecta o cérebro e o intestino), e podem nos influenciar a querer alguns tipos de alimentos ricos em gordura e açúcar. Isso pode estar ligado à preferência da maioria das pessoas em alimentos não saudáveis.

Em suma, essas criaturinhas tem o poder de manipular nossa dieta, estando indiretamente relacionados a doenças como diabetes e obesidade.

O único jeito de vencê-los é cumprir uma dieta e abster-se dos alimentos que eles mais gostam, o que irá provavelmente exterminá-los.

# 3. Uma nova parte do corpo

Recentemente, em 2013, pesquisadores descobriram uma nova parte do corpo humano, localizada no joelho. Trata-se de um ligamento até então desconhecido que estava escondido. Trata-se do agora chamado “ligamento entero-lateral”, e futuros estudos a respeito dele podem levar a grandes avanços em cirurgias no joelho.

# 2. Células-tronco em dentes adultos

Células-tronco, como você deve saber, são capazes de se transformar em qualquer coisa, sendo muito útil na criação de órgãos sob demanda, o que por sua vez acaba com o problema da fila de transplante.

No entanto, cientistas só sabiam da existência de células-tronco em fetos humanos, o que levanta muitas questões éticas. Felizmente, pesquisadores encontraram um modo de estudar células-tronco de modo muito mais fácil: nos dentes humanos adultos.

Os pesquisadores viram células nervosas nos dentes se revertendo instantaneamente em células-tronco, um processo nunca antes visto. É como “des-assar” um bolo.

O próximo passo é descobrir como aproveitar esse achado para desenvolver outros tipos de tecido.

# 1.  Um interruptor em nossos cérebros

Muitas vezes quando uma pessoa leva uma forte batida na cabeça, ela perde a consciência, algumas vezes nunca mais acordando. Por que isso acontece era até então um mistério.

Mas em 2014, cientistas sondaram o cérebro humano e encontraram uma espécie de botão “liga/desliga” da consciência.

Esse “botão” é chamado de claustro, e os pesquisadores descobriram que estimulá-lo com um fraco choque elétrico é capaz de deixar uma pessoa inconsciente, e vice-versa. [Cracked]

Responder