5 fatos assustadores que você deveria saber sobre os psicopatas

0
168

Se você pensa em um “psicopata” apenas como um termo geral para “louco”, você está errado. A razão pela qual psicopatas são aterrorizantes é que eles são impressionantemente normais – mas com traços de impulsividade, destemor, e uma fria falta de empatia. Claro, alguns deles são assassinos em série, mas grande maioria não é. E enquanto um sociopata é alguém que está fora de controle o suficiente para que muitas vezes você possa identificá-lo, o traço definidor de psicopatas é que eles podem caminhar de forma invisível entre nós.

# 5. Você provavelmente já cruzou com um psicopata hoje

As chances de você encontrar um psicopata em suas atividades do dia-a-dia são bastante altas.

Quando dizemos que os psicopatas andam sem ser detectados, isso é porque nem mesmo os especialistas sabem como identificá-los à primeira vista. O exame padrão para detectar a psicopatia exige que a pessoa seja capturada e responda um longo questionário que exige um profissional treinado para avaliar corretamente. Como tal, o melhor palpite da ciência é que há, em média, 1 psicopata para cada 100 pessoas.

Isso significa que, principalmente se você vive em uma cidade média ou grande, você provavelmente esbarrou em algum psicopata, seja na rua ou no transporte público. Onde os números ficam realmente loucos, porém, é quando você examina as pessoas em certas carreiras – ou seja, cargos superiores – porque é quando o número de repente quadruplica. Parece que aqueles com tendências psicopatas são mais propensos a se tornar chefes de outras pessoas e a ocupar cargos de importância.

Mas antes de você nunca mais querer sair de casa, você também deve saber que nem todos os psicopatas querem matá-lo. Na verdade, eles não se importam com o que acontece com você, mas não significa que eles têm um ódio mortal por cada ser humano. Você é apenas uma engrenagem em uma máquina que eles acreditam que se destina apenas a lhes dar prazer. Crimes macabros são uma possibilidade, mas psicopatas não gostam de prisões mais do que você, e, além do mais, é preciso uma série de outras combinações para termos um serial killer, por exemplo.

# 4. Psicopatas e heróis são muito semelhantes … e muitas vezes são as mesmas pessoas

Imagine que você está andando pela rua quando de repente você vê uma casa em chamas. Uma criança se inclina para fora de uma janela do segundo andar, gritando para alguém – qualquer um – ajudar. Você:

A) Desesperadamente procura alguma forma de ajudar sem pôr em perigo a sua própria vida, como sacar o celular o mais rápido possível para chamar os bombeiros.

B) Coloca em perigo a própria vida e tenta resgatar a criança, sem se importar muito com a sua segurança pessoal.

Se você respondeu B, parabéns, você é um herói! E também psicopata!

Veja, quando se trata de definir algo tão complicado como as funções mentais de um ser humano, as etiquetas podem causar equívocos. Heróis e psicopatas têm sido descritos como “galhos do mesmo ramo”, devido à quantidade de traços comuns de personalidade – ou seja, ambos são susceptíveis a serem uma “pessoa impulsiva, corajosa, que facilmente quebra as regras, age impulsivamente, e desafia autoridades.

Algumas características de psicopatas que servem para o mal também servem para o bem. Situações de risco podem transformar o “maluco” em herói, como no caso do tsunami que devastou vários locais da Ásia e Oceania em 2004, onde um empresário salvou mais de 20 pessoas e depois foi preso por roubos com violência, pois tinha um comportamento psicopata.

# 3. Governos gostam de psicopatas 

Afinal, qual é a carreira perfeita para uma pessoa que é incapaz de compreender a dor do outro e que se esforça para impor seu poder e autoridade sobre os outros? Militar, é claro.

Em um artigo da Military Review intitulado “Natural Killers – Turning The Tide Of Battle“, o major do exército norte-americano David S. Pierson fala sobre a importância de ter assassinos emocionalmente desconectados e carismáticos no campo de batalha. De acordo com Pierson, um assassino natural é aquele que “sente pouco ou nenhum remorso em matar o inimigo.”

O governo britânico financiou estudos com a intenção de desenvolver um “capacete psicopata” que iria desativar temporariamente as áreas do cérebro relacionadas ao medo e empatia, permitindo assim que seus militares exterminassem seus inimigos sem a menor hesitação.

# 2. Psicopatas destruíram a economia do mundo

O cérebro psicopata é “pré-construído” para o trabalho gerencial. Sim, e o psicólogo e pesquisador Kevin Dutton de Oxford disse, “Psicopatas são muito orientados a recompensa. Se eles vêem um benefício em alguma coisa, eles vão focar 100% naquilo até conseguirem.” Um psicopata não ficará satisfeito com algum cargo de gerente de departamento. Não, um psicopata quer ser o CEO ou qualquer posição tão importante quanto.

“Mas espera!” você provavelmente está dizendo agora. “As empresas nunca intencionalmente permitiriam que isso aconteça!” Na verdade, há evidências de que grandes bancos de investimento têm ativamente encorajado a contratação de psicopatas, sabendo muito bem que eles vão trabalhar muito para trazer mais e mais dinheiro para si e para a empresa – em detrimento da sociedade como um todo. Frio, focado, implacável…

E que efeitos isso pode trazer para a sociedade como um todo? Bem, a menos que você estava em coma em 2008, você já tem uma boa ideia do que acontece.

Na ocasião, a economia despencou graças a algumas decisões extremamente míopes feitas pelos chefes dos maiores bancos e corretoras do mundo. De acordo com a altamente plausível “Teoria dos Psicopatas na Crise Financeira Global,” os mais altos escalões de algumas das empresas mais poderosas do mundo tornaram-se tão inundados com “psicopatas corporativos” que essencialmente as empresas passaram a trabalhar exclusivamente para enriquecerem, ainda mais do que antes.

# 1. Psicopatas podem ser as melhores pessoas para ter por perto em uma crise

O alimento é escasso. Cidades inteiras estão caindo. A internet não funciona mais. Desastres por toda a parte…

Quem você recorre para pedir ajuda? Ironicamente, a resposta a essa pergunta pode ser “os psicopatas”.

Isso porque sua incapacidade de sentir empatia e sua moral trêmula de repente se transformam em vantagens em um mundo pós-apocalíptico. Um país poderia colocar seus psicopatas para trabalhar, recrutando-os como a espinha dorsal de uma força de trabalho insensível para ajudar as vítimas afetadas pelo desastre. Uma pesquisa mostrou que quando imagens especificamente concebidas para causar repulsa no ser humano comum são mostradas a um psicopata, as imagens não os afetam. Assim, enquanto os horrores de uma devastação pós-nuclear poderiam quebrar mentalmente mesmo o mais endurecido policial na rua, um psicopata não vai deixar a situação o afetar. [Cracked]

Responder