A farsa das máquinas de garra

0
152

Você provavelmente já tentou pegar um ursinho de pelúcia em máquinas de garras que existem em todas as lojas de jogos espalhadas por aí. Seja para você mesmo ou para a(o) namorada(o), conseguir pegar o prêmio nessas com certeza é uma alegria e tanto, além do fato que todos que estiverem com você vão lhe achar o máximo. No entanto, será que tudo depende mesmo de você? De acordo com um vídeo da ‘VOX’ e do YouTuber Matt3756, replicado pela ‘IFLScience’, essas máquinas normalmente utilizam uma programação inteligente que visa a beneficiar o lucro dos estabelecimentos, alterando a força da garra. No vídeo, o manual de uma máquina de garras é utilizado como base para entender como elas funcionam. O vídeo está em inglês, mas nós tratamos de explicar, em português, aquilo que é apresentado.

A lógica abordada no vídeo não é difícil de ser compreendida. O manual utilizado como base mostra como programar a força da garra de acordo com o valor desejado de lucro em cada prêmio. Isto é, se os prêmios que podem ser recebidos em cada partida custam 10 reais, o preço da ficha é um real e a loja deseja lucro de 20 reais em cada peça, a garra será programada para ter força máxima apenas uma vez a cada 30 partidas (30 reais). Nas outras vezes em que a máquina for acionada, a garra não terá força máxima, tornando o objetivo de pegar o prêmio impossível ou muito difícil. Além disso, a máquina também é capaz de utilizar diferentes níveis de força durante a partida. Isso quer dizer, em outras palavras, que o jogo faz você acreditar que quase conseguiu: você pode chegar a levantar o ursinho no ar, mas logo em seguida a máquina reduz a força da garra e ele cai. Utilizando esse sistema, os estabelecimentos garantem que não terão prejuízos com a máquina, e ainda assim conseguem fazer com que as pessoas acreditem que realmente estão participando de um jogo justo.

Então, da próxima em vez em que você tiver a impressão de que fez tudo certo, mas a máquina sequer tentou lhe ajudar, considere a possibilidade de não ser apensa uma impressão. [IFLScience]

Responder