Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

0
180

Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu na Europa, e Londres tornou-se alvo de bombardeio aéreo, as pessoas começaram a fugir para as plataformas de metrô de Londres todas as noites para escapar dos ataques de 1940. Como estes santuários subterrâneos tornaram-se cada vez mais lotados, o governo britânico decidiu construir abrigos antiaéreos muito abaixo do solo. A ideia era construir dez abrigos e colocá-los perto das estações de metrô existentes com a intenção de que esses túneis recém-construídos seriam, eventualmente, absorvidos pelo metro uma vez que a guerra tivesse acabado.

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: David Iliff/Wikimedia

Os abrigos começaram a ser construídos em novembro de 1940. Cada abrigo possuía um par de túneis paralelos com 4 metros de altura e 370 metros de comprimento. Cada túnel foi subdividido em dois pavimentos, totalmente equipados com beliches, postos médicos, cozinhas e saneamento básico. Acima do solo, eixos de cada abrigo eram protegidos por “Pill Boxes” edifícios especialmente construídos para evitar qualquer bombas de atingirem diretamente o local.

Originalmente dez abrigos foram planejados, mas apenas oito foram construídos em Belsize Park, Camden Town, Goodge Street, Chancery Lane, Stockwell, Clapham North, Clapham Common, e Clapham South. A capacidade final de cada abrigo também foi reduzida para 8.000 ao invés de 10.000.

Os abrigos ficaram prontos em 1942, mas quando chegou a hora de abri-los ao público, o governo não permitiu que eles entrassem nos abrigos. “O pior dos bombardeios já terminaram”, eles argumentaram, e o custo de manutenção dos abrigos seria muito alto depois de serem abertos. Apesar da pressão crescente por parte do público, as autoridades decidiram que os abrigos não seriam abertos até o bombardeio se intensificar.

A chegada das bombas aéreas, V1 e V2, finalmente fizeram com que o governo abrisse os abrigos para o público. Cinco dos abrigos foram abertos e os três restantes continuaram a ser usados pelo governo. O acesso aos abrigos foi controlado por passagens, mas a demanda não era alta. A maior população registrada foi de 12.297 em 24 de julho de 1944, cerca de um terço da capacidade total. Depois do susto dos ataques, os abrigos foram fechados novamente e as pessoas voltaram para casa.

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Sheep”R”Us/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Subterranea Britannica

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Subterranea Britannica

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: diamond geezer/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Sheep”R”Us/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Sheep”R”Us/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Tom Page/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Sheep”R”Us/Flickr

 

 

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Matt Brown/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: secretlonddon123/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: Sheep”R”Us/Flickr

Conheça as plataformas de metrô em Londres que eram usadas como abrigo durante a Segunda Guerra Mundial

Foto: diamond geezer/Flickr

Fontes: Wikipedia / Underground History / Subterranea Britannica

Responder