Conheça o Jorunna Parva, o “Coelho do Mar”

0
365

Fofinho, não é? Talvez fique um pouco difícil de vê-lo pessoalmente, já que ele só pode ser encontrado em águas japonesas, na Tanzânia ou nas Filipinas, mas um vídeo está ficando popular no YouTube, com quase meio milhão de acessos.  Ele mostra o Jorunna Parva, uma lesma do mar de dois centímetros de comprimento que se assemelha a um coelho pelo seu corpo esguio, orelha, rabo e aparência carinhosa.

Segundo o Daily Mail, as “orelhinhas” são sensores chamados caryophyllidia, que auxiliam na identificação de corpos presentes na água e odores, inclusive de alimentos. Os sensores também são espalhados pelo corpo que, junto ao pêlo, ajudam na sua locomoção. A sua cor também tem alterações, passando para branco, marrom e amarelo, além de cores múltiplas que variam entre a espécie. As brânquias tem cores marrom ou preto. Alimentam-se principalmente de anêmonas-do-mar, que assemelham-se a uma flor silvestre. Não existem muitos estudos científicos ou descritivos da espécie em destaque, que foi encontrada no século XIX, mas apenas documentada em 1938.

Como ela faz parte da família dos nudibrânquios, sua alimentação pode causar sérios problemas aos seus predadores. Como suas refeições podem conter substâncias tóxicas, elas podem manter a toxina no seu organismo, que pode matar quem quiser comê-lo. Alguns ingerem, por exemplo, algas, cujas células são incorporadas a produzir fotossíntese, fazendo a lesma do mar se prover de luz, ficando sem se alimentar por meses. Suas cores são berrantes, variando tons que não passam despercebidos no oceano. Entretanto, essa coloração pode ajudar na camuflagem entre corais e algas, deixando-a invisível para alguns peixes.

Responder