Eis uma transmissão de rádio alienígena?

0
201

Por quase uma década, os astrônomos estão intrigados com poderosas rajadas energéticas de rádio que parecem estar vindo de bilhões de anos-luz de distância. Recentemente, recebemos relatos de uma nova página a este mistério: As explosões parecem seguir um padrão matemático, um que não se alinha com qualquer coisa que sabemos sobre a física cósmica.

E, claro, quando ouvimos “padrão matemático”, “transmissão de rádio,” e “espaço exterior”, não podemos deixar de pensar em alienígenas. Será?

Desde 2007, os telescópios registraram quase uma dúzia de chamadas “explosões de rádio rápidas”, pulsos que duram apenas milissegundos, mas entram em erupção com tanta energia quanto o sol lança em um mês. De onde elas poderiam estar vindo? Para descobrir isso, um grupo de pesquisadores se aproveitou de um princípio simples: que as ondas de rádio de frequência mais elevada encontram menos interferência enquanto atravessam o espaço, e são detectadas pelos nossos telescópios mais cedo do que as ondas de baixa frequência. O atraso de tempo, ou “medida de dispersão”, entre as ondas de rádio de frequência mais elevadas e mais baixas a partir do mesmo evento pode ser utilizado para determinar a distância percorrida pelas ondas.

Aqui é onde as coisas ficam estranhas. Quando os pesquisadores calcularam a distância de dispersão para cada uma das onze rajadas rápidas de rádio, eles descobriram que cada distância é um número inteiro múltiplo de um número único: 187,5. Quando plotados em um gráfico, os pontos formam um padrão impressionante.

Uma explicação é que as rajadas são provenientes de diferentes fontes, todas em intervalos regularmente espaçados entre a Terra, bilhões de anos-luz de distância. Elas também podem ser causadas por um pequeno objeto cósmico muito mais perto de casa, como uma estrela pulsar, comportando-se de acordo com algum tipo de física que ainda não compreendemos. E depois há a possibilidade de que os alienígenas estão tentando se comunicar, emitindo padrões numéricos simples para o espaço.

Mas não importa como você o faria, onze pontos de dados é uma pequena amostra definida para tirar quaisquer conclusões significativas a partir dela. Um punhado de observações desviantes poderia causar todo o padrão.

E isso é exatamente o que parece estar acontecendo. Como Nadia Drake relata para a National Geographic, as observações mais recentes (ainda não publicadas em relatórios científicos) não se encaixam.

“Há cinco explosões de rádio rápidas a serem reportadas”, diz Michael Kramer, do Instituto Max Planck da Alemanha para Radioastronomia. “Elas não se encaixam no padrão”.

Em vez de aliens, astrofísica incomum, ou mesmo interferência terrestre, o padrão matemático misterioso é provavelmente um artefato produzido por um pequeno tamanho de amostra, diz Ransom. Ao trabalhar com uma quantidade limitada de dados – por exemplo, uma população de 11 rajadas de rádio rápidas – é fácil desenhar linhas que ligam os pontos. Muitas vezes, porém, essas linhas desaparecem quando mais pontos são adicionados.

“Minha previsão é que esse padrão será lavado muito rapidamente, uma vez que novas rajadas rápidas de rádio são registradas”, diz Kramer. “É um bom exemplo de como, aparentemente, resultados significativos podem ser encontrados em conjuntos de dados esparsos.”

Isso é um tanto decepcionante, claro, mas ainda assim, estas explosões são fascinantes, e ainda assim são um mistério, uma vez que não sabemos o que as estão causando. [Gizmodo]

Responder