Gaivotas estão se alimentando de olhos de focas recém-nascidas

0
184

As gaivotas famintas da costa da Namíbia têm uma maneira bizarra de petiscar: elas arrancam e comem os olhos de filhotes de focas, de acordo com um novo estudo. Mas, dizem os pesquisadores, esse não é o único hábito estranho desses animais. O gaivotão (Larusdominicanus) também já foi observado bicando a pele e gordura de baleias adultos e jovens na América do Sul. Já no Chile, eles se alimentam de azeitonas.

Esse tipo de alimentação pode parecer extremamente bizarro para seres humanos, mas de acordo com especialistas da Universidade de Miami, essa dieta eclética é responsável pelo sucesso da espécie como predadora. Os pesquisadores publicaram os resultados de seus estudos sobre a alimentação de gaivotas sobre os olhos de focas no dia 18 de agosto no ‘African Journal of Marine Science‘.

Por 15 anos, pesquisadores analisaram as populações de gaivotas e focas que viviam no Ponto de Pelicano, no Parque Nacional de Dorob, na Namíbia. Nos meses do inverno, cerca de 20 a 80 mil focas passaram a viver ao longo do oceano, compartilhando a praia com centenas de pares em reprodução de gaivotas.

Há cerca de 25 anos, pesquisadores que estavam estudando a vida selvagem da costa da Namíbia predisseram que, um dia, a presença de focas e gaivotas na costa do país, misturada com a pesca sem limites que estava acabando com a comida de ambas espécies, poderia gerar conflitos.

E eles estavam certos.

Se alimentar dos olhos de filhotes de focas pode parecer assustador, mas na verdade é uma tática inteligente de caça, dizem os pesquisadores. Arrancando os olhos das presas, as gaivotas as deixam cegas, dificultando a fuga dos filhotes, disse Austin Gallagher, cientista da Universidade de Miami e principal autor do novo estudo.

Durante os 15 anos do estudo de observação, os cientistas gravaram aproximadamente 500 ataques desse tipo, e cerca da metade obtiveram sucesso. Um ataque de sucesso começava quando uma gaivota se aproximava de uma foca recém-nascida que havia fugido de sua mãe. Então, a gaivota atacava diretamente os olhos do pequeno animal, rapidamente bicando sua região ocular em uma tentativa de arrancar seus olhos e comê-los. Mas o ataque não se bastava apenas nisso: depois de ter seus olhos arrancados, o filhote normalmente era atacado por uma série de outras gaivotas, que se aproveitavam da cegueira da presa para se alimentar do restante da carne. Em algumas ocasiões, no entanto, focas maiores conseguiam afastar as gaivotas e salvar os filhotes.

De acordo com os especialistas responsáveis pelo estudo, essa prática pode ter ser existido, mas até o momento sem ter sido descoberta. [LiveScience]

Responder