O misterioso homem de Marree

0
146

Em Junho de 1998 um piloto local voando sobre o deserto do sul da Austrália descobriu um enorme desenho de um homem aborígene caçando com uma madeira, feito no chão do deserto, a cerca de 60 km a oeste da cidade de Marree. A figura tem 4,2 km de altura com um perímetro de 28 km, tornando-se um dos maiores geoglifos do mundo. A figura é tão grande que só pode ser vista na sua totalidade acima de 3.000 pés de altura.

Ao contrário de muitos geoglifos encontrados ao redor do mundo, que foram criados por civilizações antigas, o homem de Marree é recente, esculpido na paisagem não mais de 18 anos atrás. A figura foi criada pela raspagem da vegetação e de solo, possivelmente por uma escavadeira com o auxílio de GPS, que os especialistas estimaram que tenha demorado de quatro a oito semanas para ser concluído. Foi criado em segredo que não há uma testemunha que poderia atestar a sua criação. Graças ao seu afastamento, ninguém ouviu ou viu nada, nem ninguém assumiu a responsabilidade por isso. Até hoje continua a ser um dos grandes mistérios modernos não resolvidos.

O misterioso homem de Marree

Quando foi descoberto, o contorno da figura tinha 20-30 cm de profundidade e até 35 metros de largura. Assumindo que a escavadeira tinha 2,5 metros de largura e em um cálculo rápido ela teria coberto 400 quilômetros e consumido mais de 300 litros de combustível. Foi um esforço e tanto.

A figura é tão lindamente desenhada e com ótima proporção que o artista deve ter usado um computador para sobrepor a figura sobre uma fotografia aérea ou por satélite, e ajustado de acordo com a geografia local. Ele deve ter, em seguida, traçado as coordenadas de latitude e longitude e usando as habilidades de especialistas, fez um levantamento sobre o esboço do terreno com a ajuda de um dispositivo GPS de mão. Estacas poderiam ter sido colocadas a cada cem metros ou mais.

Os criadores, no entanto, cometeram o erro de não cavar o contorno profundo o suficiente, pois há uma camada de material de giz branco ligeiramente abaixo do solo vermelho. Se o contorno foi escavado a esta profundidade e a camada de giz branco foi exposta, ele teria tornado a figura mais permanente. Já que isso não foi feito a imagem está gradualmente sendo desgastada através dos processos naturais. Até dezembro de 2015, a figura era indetectável quando procurada no Google Earth.
marree-man-4

Uma imagem da NASA mostrando do espaço o Homem Marree. Ao lado temos o esboço do homem.

Após a descoberta, vários comunicados anônimos da imprensa foram enviados para os meios de comunicação que sugerem que o Homem Marree foi criado por pessoas dos Estados Unidos. Certos estilos sobre o comunicado de imprensa, tais como o uso de “pés” e “polegadas” em vez de unidades métricas, e frases como “o Estado de SA”, “Queensland Barrier Reef” e “territórios indígenas locais”, que não são usados pelos australianos indicam autoria estrangeira. Alguns acreditam que o “estilo” foi uma manobra deliberada de enganar.

Outro fax alegando ser do próprio artista abordou a figura como “Gigante de Stuart”, por isso às vezes o Homem Marree também é chamado por esse nome.

A trama se complica quando em janeiro de 1999, um outro fax anónimo derruba funcionários da presença por causa de uma placa enterrada 5 metros ao sul do nariz da figura. Com certeza, uma placa foi encontrada, tendo a bandeira americana, uma marca dos anéis olímpicos, e uma citação do livro HH Finlayson, “o centro vermelho”, tirado de uma seção de seu livro descrevendo os caçadores aborígines de wallabies lançando varas. As citação diz:

Em honra da terra que eles conheciam. Suas realizações nessas perseguições são extraordinárias; uma constante fonte de espanto e admiração.

marree-man-1

Há muitas teorias sobre as origens do Homem de Marree. Alguns dizem que foi um presente de despedida de soldados americanos  do Instituto Australiano de Pesquisas Espaciais em Woomera. Outros acreditam que ele seja o trabalho da Força de Defesa Australiana. Seus veículos, incluindo uma escavadeira, teriam sido vistos na área. Outro suspeito potencial suspeito é Bardius Goldberg, um artista do Território do Norte que era conhecido por estar interessado em criar uma obra visível do espaço. Quando questionado sobre isso, Goldberg se recusou a confirmar ou negar que ele tinha criado a imagem. Um amigo próximo de Goldberg revelou que oferecem a ele $ 10.000 para criar o homem gigante. Mas antes que uma investigação mais aprofundada pudesse ser feita, Goldberg faleceu.

Um jornal diário do Sul da Austrália revelou que a figura deve permanecer intocada. Mas alguns membros da tribo Dieri, cujas terras se encontram a leste de Marree queixaram-se de danos e exploração do Dreamtime, apelando para que a imagem fosse apagada e para que o artista seja processado. Quando a tribo tomou medidas legais para parar vôos fretados e veículos que visitam o local, o governo local fechou a área. O ministro do Meio Ambiente chamou de “vandalismo ambiental”, e o chefe australiano do Sul dos assuntos aborígenes disse que era nada mais do que “graffiti”. Embora chegar pelo chão seja proibido, ainda é possível ir pela rota aérea.

O misterioso homem de Marree

A esquerda: Uma vista aérea do desenho misterioso do Homem Marree em 2002,e na direita a foto tirada em 2001.

Responder