Os melhores eventos astronômicos de 2015

0
251

Na semana passada, nós tivemos sorte o suficiente para experimentar um eclipse solar, uma superlua, e um equinócio da primavera de uma só vez. Bem, quando eu digo ‘experiência’, eu quero dizer que a maioria de nós teve a chance de ver online, pois as únicas pessoas que realmente puderam ver estavam sentadas em barcos ao largo da costa das Ilhas Faroe, no Oceano Pacífico.

Mas nesse caso, é apenas uma fração da grandiosidade que vamos ter em nossos céus este ano, com luas de sangue, chuvas de meteoros, e visões incríveis de planetas. Marque no seu calendário:

04 de abril – Eclipse Lunar Total / Lua de Sangue

. A Lua vai passar sobre a sombra escura da Terra, ou umbra, e assumirá uma cor vermelho escuro e assustadora. A totalidade – quando você pode ver todo o círculo da Lua antes de ser coberta pela sombra novamente – vai durar apenas 9 minutos, que é a menor duração de um eclipse lunar total desde 13 outubro de 1856. O fenômeno será visível na maioria das áreas da América do Norte, América do Sul, no leste da Ásia e Austrália.

22 e 23 de abril – Chuva de Meteoros Liríadas.

 Se estiver no Hemisfério Norte, você vai ter a oportunidade de ver cerca de 20 meteoros por hora quando esta chuva de meteoros atingir o seu pico na noite de 22 de Abril.

5 e 6 de maio – Chuva de meteoritos Eta Aquarids

. Se você não puder ver as Liríadas, não se preocupe – esta provavelmente será ainda mais impressionante. Esta chuva anual é capaz de produzir até 60 meteoros por hora. Enquanto esta será mais visível para as pessoas do hemisfério sul, as pessoas no hemisfério norte podem ter um vislumbre nas primeiras horas do dia 05 e 06 de maio (pico).

7 de maio –

Mercúrio atinge sua maior elongação oriental. Isso significa que ele estará posicionado 21,2 graus do Sol, o que torna este o melhor momento de todo o ano para ver o nosso vizinho acinzentado. Ele vai estar em seu ponto mais alto acima do horizonte no céu noturno.

06 de junho –

Venus atinge seu maior elongação oriental. Mais de um tipo de Venus de pessoa? Nós obtê-lo, quem não quer manchar esta brilhante branco, sirigaita gasoso de um planeta? Em 6 de junho, ele irá atingir a sua maior elongação oriental de 45,4 graus do Sol, em que ponto ele vai estar em seu ponto mais alto acima do horizonte no céu à noite, logo após o por do sol.

01 de julho – Conjunção entre Vênus e Júpiter –

Às 18h, a distância aparente entre os dois planetas será menor do que o tamanho de uma Lua Cheia.

12 de agosto – Chuva de Meteoros Perseidas

– A chuva de meteoros Perseidas é geralmente considerada uma das melhores graças às suas altas taxas de meteoros. Observadores com sorte e com vista para um céu limpo e longe da poluição visual, às vezes pode ver até 90 meteoros por hora durante o pico.

29 de agosto – Superlua. 

Isso ocorre quando a Lua se move para uma posição que está no lado oposto da Terra ao Sol, o que significa que sua face vai ser totalmente iluminada ao mesmo tempo que faz a sua maior aproximação da Terra, fazendo-a parecer maior e mais brilhante.

13 de setembro

– Eclipse parcial do Sol para quem mora na África e Oceano Índico.

28 de setembro – Eclipse lunar total.

Caso você tenha perdido o evento 04 de abril, haverá uma repetição. Poderá ser visto em todo o território brasileiro. Tem início às 21:11 e término às 03:22 da manhã.

01 de outubro –

 Cometa C/2013 US10 Catalina possivelmente deve ser visível a olho nu.

21 de outubro – Chuva de meteoros Orionídeas.

 Esse chuva irá ocorrer ao longo de outubro, mas na noite de 21 e na manhã de 22 de outubro, ela vai bater o seu pico, entregando cerca de 20 meteoros por hora. Ela é composta das trilhas de poeira deixadas pelo cometa Halley.

28 de outubro – Conjunção de 3 planeas

. Este evento raro permite ver Vênus, Marte e Júpiter formando um triângulo no céu de manhã cedo.

12 de novembro  – Chuva de meteoros Taurídeos.

 Segundo cientistas, a cada 7 anos o número de meteoros aumenta nessa chuva, e esse é o ano.

18 de novembro – Chuva de meteoros Leonídeas

.

14 de dezembro

– Pico da chuva de meteoros Geminídeas, com uma taxa prevista de 120 meteoros por hora. [ScienceAlert, G1]

Responder