Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

0
297

Uma das figuras mais familiares da paisagem rural do Reino Unido, como vários países ao redor do mundo, é o espantalho. Essas sentinelas silenciosas horrivelmente desfiguradas servem supostamente para afastar pragas, como pássaros, mas como o fotógrafo britânico Colin Garratt descobriu, eles são terríveis o suficiente para assustar os humanos também.

“Quando você vê um espantalho, vem aquela sensação desconfortável de estar sendo observado”, diz Colin Garratt. “Alguns são tão realistas e ameaçadores que parecem estar vivos.”

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os espantalhos tem sido usados durante séculos, mas sua origem e desenvolvimento são de origens obscuras. Os historiadores acreditam que durante a Idade Média espantalhos na Grã-Bretanha eram na verdade meninos com a tarefa de assustar as aves.

Mas quando a Grande Praga de 1348 dizimou metade da população na Grã-Bretanha, os proprietários não poderiam encontrar garotos o suficiente para assustar as aves. Então, eles encheram sacos com palha, esculpiram rostos em nabos ou cabaças, e os colocaram em pé em postes e varas.

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Já foi relatado pessoas que atacaram espantalhos, apunhalando e mutilando-os. Outros descobriram que eles são esconderijos perfeitos para cadáveres, ou objetos roubados que guardam nos bolsos de suas roupas. Espantalhos bem feitos são frequentemente roubados.

A Exposição dos Espantalhos de Garratt aconteceu em Londres, na Galeria Geddes, no dia 25 a 30 de março.

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

Os terríveis espantalhos da Grã-Bretanha

via The Guardian

Responder