Se Plutão libera tanto nitrogênio, por que ele ainda está repleto da substância?

0
127

Algo misterioso está acontecendo na superfície de Plutão: Não importa a quantidade de nitrogênio que a atmosfera lança para o espaço, ela ainda está repleta da substância. Um novo estudo examina os possíveis culpados para o reabastecimento de nitrogênio furtivo, insinuando a atividade geológica ativa no interior do planeta anão.

Imagem do topo: A atmosfera de Plutão iluminada pelo sol nesta imagem obtida pela sonda New Horizons, da NASA. Atmosfera contém um alto nível de nitrogênio, apesar de constantemente libera-lo para o espaço.

A atmosfera de Plutão tem uma pressão 10.000 vezes mais baixa do que a da Terra na superfície, e centenas de toneladas de nitrogênio estão escapando a cada hora. No entanto, a atmosfera se mantém com 98% da substância. Os pesquisadores estão investigando potenciais fontes de nitrogênio: cometas, crateras de impacto ou – o que eles acham que é mais provável – um processo geológico que libera nitrogênio do interior para a superfície de Plutão.

“A substância tem que vir de algum lugar para reabastecer tanto o nitrogênio gelado que se move ao redor da superfície de Plutão em ciclos sazonais”, Kelsi Singer , pesquisadora pós-doutorada no Instituto de Pesquisa Southwest, disse em um comunicado. Singer é uma especialista em crateras de impacto, e ela está trabalhando com Alan Stern, investigador principal da sonda New Horizons, para definir a fonte do nitrogênio atmosférico.

O gás provavelmente não é reabastecido por cometas – que não renderiam o suficiente para substituir o montante perdido para o espaço. E, apesar de crateras de impacto de cometas liberarem bastante nitrogênio sob a superfície do planeta anão, ainda assim não é o suficiente, a menos que exista uma camada extremamente profunda de nitrogênio congelado ali (e não há atualmente nenhuma evidência para isso).

A opção restante, e aquela que a dupla sugeriu em seu artigo publicado este mês no The Astrophysical Journal Letters, é que a atividade dentro do planeta anão está transportando nitrogênio interno para cima, para ser liberado. Esse processo implica na existência de  gêiseres ou criovulcões (vulcões de gelo). Outras características também apoiam este processo: novas observações da New Horizons revelam traços na superfície que sugerem que o calor está subindo do interior do planeta-anão.

 A sonda New Horizons está enviando de volta cada vez mais informações coletadas em seu sobrevôo de julho, e ao longo dos próximos meses, os pesquisadores vão aprender muito mais sobre a vida e a atmosfera interior do planeta anão. [LiveScience]

Responder