Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

0
259

Nos arredores da pequena aldeia de Hanbury, em Staffordshire, Inglaterra, existe uma grande cratera criada por uma das maiores explosões acidentais da história, que também é a maior explosão não-nuclear que ocorreu em solo britânico. O incidente aconteceu em 27 de novembro de 1944.

Naqueles dias, a área era utilizada pela Royal Air Force como um depósito de munição chamado RAF Fauld. As munições foram armazenadas em minas de gesso em desuso, e continha no momento da explosão, cerca de 4.000 toneladas de munições e 500 milhões de cartuchos de munição de rifle, e uma variedade de outras armas.

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Barry Wright/Tutbur

Durante vários meses, a RAF estava lutando com a falta de pessoal, forçando a gestão de nomear duas centenas de prisioneiros de guerra italianos em vários empregos ao redor do acampamento. Muitos deles foram contratados para trabalhar no armazém de munições, onde eles lidavam com bombas e executavam tarefas perigosas que exigiam destreza e experiência. Um erro simples, como escolher a ferramenta errada, podia ter consequências fatais. E foi exatamente o que aconteceu.

Um inquérito após o acidente revelou que um dos aviadores estava tentando remover o detonador de uma bomba, mas em vez de usar uma ripa de madeira ele usou um objeto de metal, produzindo uma faísca fatal. Num instante, tudo no lugar foi lançado para o ar.

Tudo dentro de um quilômetro da mina foi obliterado. Os detritos no ar choveram sobre aldeias localizadas a 10 km do lugar, danificando casas e igrejas. Os muros de contenção de um reservatório próximo foi danificado e a inundação resultante destruiu uma fábrica de gesso matando 37 trabalhadores dentro dele. No total, cerca de 70 pessoas perderam a vida e cerca de 200 gados morreram. A explosão foi ouvida e sentida a 60 km de distância, e registrada por sismógrafos em toda a Europa.

Embora grande parte da instalação de armazenamento ter sido aniquilada pela explosão, o próprio lugar continuou a ser usado pela RAF para armazenamento de munição até 1966, e ainda há uma quantidade significativa de munições não detonadas enterradas abaixo da cratera.

A cratera da explosão possui 30 metros de profundidade e 230 metros de diâmetro, embora foi e ainda está sendo modificada pela natureza. O chão da cratera é coberto por pequenos arbustos e árvores maduras. Um caminho circular ao longo da borda foi criado para tornar a cratera mais acessível. De pé ao lado da borda existe um memorial dedicado a todos aqueles que morreram na explosão.

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Daventry B J/Wikimedia

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Daily Mail

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Daily Mail

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Daily Mail

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Daily Mail

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: steve p2008/Flickr

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: David Farquhar/Flickr

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: Barry Wright/Tutbury

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: SK53 OSM/Flickr

Veja a Cratera de Hanbury, na Inglaterra

Foto: David Farquhar/Flickr

Fontes: Wikipedia / BBC / East Midlands Geological Society

Responder